facebook  Twiter  GooglePlus In Youtube

Como reduzir ainda mais o açúcar e o sal sem perder o sabor?

Ingredientes / Aditivos Salud Brasil

A Kerry oferece um aroma natural como opção para reduzir até 40% do açúcar e sal dos alimentos e bebidas. Recentemente, uma proposta da Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas – ABIR - e da Associação Brasileira de Indústrias da Alimentação – ABIA - entregue ao Ministério da Saúde reabriu a discussão sobre reduzir o açúcar e o sal dos alimentos e bebidas.

O tema movimenta o setor há alguns anos e move toda a cadeia a buscar soluções de redução que não comprometam o sabor atrativo dos produtos.

Apesar de muitos fabricantes ainda enfrentarem esse desafio, especialmente para reduções de açúcar e sal em mais de 25%, a indústria já oferece soluções de alta performance para desenvolver produtos que são nutricionalmente melhores e ainda muito saborosos. A Kerry, empresa Taste & Nutrition, possui uma linha de moduladores de sabor sob a marca TasteSense™ que permite que os fabricantes melhorem suas receitas por meio da redução de sal e açúcar e ao mesmo tempo mantenham as características de sabor. O produto restaura a experiência sensorial com o objetivo de satisfazer as expectativas que os consumidores estão buscando nos alimentos e bebidas de hoje.

Segundo Alexandre Matos, gerente de Pesquisa & Desenvolvimento da Kerry, a linha TasteSense™ é composta por aromas naturais que permitem reduzir o açúcar e o sal em até 40% sem comprometer o sabor, dependendo do tipo de aplicação. “Desenvolvemos diversos testes e em todos, o produto reagiu de maneira superior ao que é encontrado no mercado. Além de proporcionar o benefício da etiqueta limpa, TasteSense™ mantém o sabor e pode ser aplicado em bebidas alcoólicas e não alcoólicas, culinários, molhos, sopas, caldos, snacks, lácteos, panificados, pratos prontos e foodservice”, comenta o aromista.

A cada dia, o consumidor se mostra mais consciente dos impactos que o excesso desses ingredientes causam no organismo, mas não atrela o sabor à essa diminuição, mantendo esse quesito como principal motivo de compra de alimentos e bebidas.

Apesar dos consumidores se mostrarem mais conscientes, os índices de hipertensão, diabetes e excesso de peso - doenças crônicas diretamente ligadas ao consumo de sal e açúcar – são alarmantes. Os números da Sociedade Brasileira de Hipertensão mostram que a doença atinge, em média, 25% da população brasileira, chegando a mais de 50% na terceira idade e a 5% dos 70 milhões de crianças e adolescentes do País. O impacto do excesso de açúcar também não é diferente, o Ministério da Saúde afirma que a diabetes já atinge 7,4% da população adulta brasileira e que mais da metade da população - 52,5% - está acima do peso, sendo que um terço das crianças de 5 a 9 anos estão com sobrepeso.

Para Alejandra Rullan, Ph.D., diretora de nutrição América Latina da Kerry, a alimentação ideal deve levar em consideração o equilíbrio. “Açúcar e sal fazem parte da nossa dieta, mas devem ser consumidos com moderação. Mudar um cenário tão complexo depende de educação e conscientização. Os consumidores tem acesso a diversos alimentos - naturais e industrializados -, mas precisam saber escolher e balancear as refeições”, comenta a especialista.

Mudar essa realidade depende não só do governo e da indústria, como dos fabricantes e consumidores. Além de uma rotina com mais atividade física e menos estresse, é importante que o as pessoas diminuam a adição de açúcar e sal dos alimentos e bebidas que preparam em casa. No caso dos fabricantes, a redução nos itens que produzem deve ser uma prioridade para que os consumidores tenham acesso a produtos que eles gostam e se sintam bem.

|